Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Pelos Jarmelos, uma digna volta modelo!

Sábado, 16.06.18

Foto de José Cavaca.

É logo ali ao lado de quem passa, naturalmente apressado, na A25, depois da Guarda e no sentido de Vilar Formoso. Há um cabeço que se destaca de todo o planalto. São as terras do Jarmelo e têm tanto de históricas como de lendárias. Terras de maldição e, afinal, terras de amor.
Amigos, 164 km como há muito não vivia, como há muito não enriqueciam a nossa memória com alguns verídicos e trágicos acontecimentos da época.
SIMPLESMENTE LINDO

(46).jpg

O nosso convidado do dia... 

 

Foto de José Cavaca.

Às 7:00 dava-se início a uma das etapas a que podia dar o nome de (O amor, a pior das maldições)... por terras de Jarmelo!
Pelotão Cavaca a colorir estradas da Beira Alta.

 

Em Vendas da Vela a primeira dificuldade do dia, subidinha para Santa Cruz, Guarda.

 

Foto de José Cavaca.

A cidade da Guarda à vista, esta teve o seu primeiro Foral a 27 de novembro de 1199, concedido por D. Sancho I, o Rei Povoador.

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca a pedalar para Argomil, hoje com um convidado especial...

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca a dar entrada na linda aldeia de Argomil, bem conhecida do Pelotão.

 

Foto de José Cavaca.

Argomil é assim, passadeiras não existem mas os condutores param.

 

Foto de José Cavaca.

Abastecimento líquido em Argomil... bem fresquinha estava esta boa água.

 

 Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca deixava lá atrás a linda aldeia de Argomil.

 

Foto de José Cavaca.

Esta é a linda aldeia Montes do Jarmelo.

 

(45).jpg

Sobe desce, sobe desce... foi sempre a "passear.

  

Foto de José Cavaca.

Valdeiras do Jarmelo, e nós num constante sobe e desce rumo a Inês de Castro.

 

Foto de José Cavaca.

Ima do Jarmelo... tudo belo...
Algo que tem de ser referenciado... as muito boas estradas que há por toda esta zona!

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca rumo a Donfins do Jarmelo.

 

Foto de José Cavaca.

Donfins do Jarmelo... e ainda havia mais...

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca agora rumo a Urgueira do Jarmelo... a nossa aldeia.

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca chegava à aldeia desejada... 
Por aqui passaram D. Pedro e Inês. E os resquícios da mais bela e trágica história de amor da nação. Uma espécie de Romeu e Julieta à portuguesa, pois então. Ou, pelo menos, com um final igualmente trágico. O Jarmelo, terra orgulhosamente beirã, aparece ligada, irremediavelmente, a essa tragédia. É que foi aqui que nasceu, por má sina e infortúnio, Pêro Coelho, um dos executores da "bela com o corço de garça". Por isso, e em jeito de vingança desesperada, D. Pedro mandou salgar as suas terras, num gesto decisivo de maldição e extermínio, mal subiu ao trono.

 

Foto de José Cavaca.

Chegados a Urgueiro do Jarmelo, fomos diretamente ao hotel para repor energias... 

 

Foto de José Cavaca.

... antes de comer, tivemos que lavar os pratos, no Jarmelo é assim, comidinha saudável.

 

Foto de José Cavaca.

Pelotão Cavaca no abastecimento sólido...
ALFACE BIO NACIONAL
1,50€ / 500grs

 

Foto de José Cavaca.

Vamos lá então ver D. Inês... estava lá ao cimo.

 

Foto de José Cavaca.

Chegamos ao local onde passaram D. Pedro e Inês com os resquícios da mais bela e trágica história de amor da nação. O Jarmelo, terra orgulhosamente beirã, aparece ligada, irremediavelmente, a essa tragédia. É que foi aqui que nasceu, por má sina e infortúnio, Pêro Coelho, um dos executores da "bela com o corço de garça". Por isso, e em jeito de vingança desesperada, D. Pedro mandou salgar as suas terras, num gesto decisivo de maldição e extermínio, mal subiu ao trono. Pouco depois de murmurar as históricas palavras: "Adeus Vila do Jarmelo/Adeus pedra de montar/ Enquanto o mundo for mundo/Tributo hás-de pagar".

 

Foto de José Cavaca.

Reza a história que, por causa dos amores e dissabores do infante, a vila sofreu uma atrocidade que ficaria para sempre visível. D. Pedro determinou que no Jarmelo não ficasse pedra sobre pedra – salgando-se os terrenos. Os habitantes foram empurrados para as terras vizinhas. Mais tarde, o Jarmelo foi reconstruído e repovoado pelo seu filho, D. Fernando. A terra outrora amaldiçoada prosperou e foi, inclusive, sede de concelho. Durante a quarta invasão napoleónica foi assaltada. Enfraquecidos, os habitantes enjeitaram-na e nunca mais se recompôs.

 

Foto de José Cavaca.

Há até quem diga que foi no Jarmelo que D. Pedro conheceu D. Inês, quando integrava um cortejo de D. Constança, que casou com o rei, vindo de Espanha. «Mas não há nada oficial», adverte Agostinho da Silva, presidente da Junta de S. Pedro do Jarmelo. «A versão oficial, essa, conta-a Camões», recorda. Mas estórias há muitas. O autarca recorda que «até há quem conte que foi feito um casamento na região da Guarda, por um padre da Sé». Conta-se que o rei, encolerizado e inclemente, expulsou D. Inês para o Jarmelo. Desse tempo é a famosa "pedra de montar", que lhe servia de apoio quando pretendia subir ao cavalo. A pedra ainda lá está, escondida entre carvalhos, nos arredores do "pinoco" (o marco geodésico). Mas não no sítio original. «Foi removida há 60 anos e colocada no actual local», continua Agostinho da Silva. Foi também por causa de D. Inês que perdurou ao longo dos séculos a tradição das noivas pagarem uma tença ao casarem. Como que à memória "daquela que depois de morta foi rainha". No Jarmelo, existem as tradicionais "alminhas", mas aqui adquirem um significado especial. «Há quem lá ponha dinheiro e flores campestres para as moçoilas arranjarem casamento», garante o autarca...
Amigos, muito, mas muito mais havia que escrever sobre esta linda história, quanto ao que se sabe verídica.
 
Foto de José Cavaca.
Pelotão Cavaca depois de estar cerca de uma hora com D. Inês e D. Pedro, voltava à realidade e às muito boas estradas coloridas com muito melhores paisagens... um sonho pedalar por aqui.
 
Foto de José Cavaca.
Mais uma bonita aldeia que nos viu pedalar, Rochoso.
 
Foto de José Cavaca.
Pelotão Cavaca... É na bike, é nas estradas e suas belas paisagens, que sente o conforto da paz onde descarregamos os desprazeres que a vida insiste em nos dar. Voltamos sempre mais livres, leves e renovados... Isto é Pelotão Cavaca.
 
 
Foto de José Cavaca. 
Pelotão Cavaca à passagem por Monte Margarida... lindo nome.
 
 
Foto de José Cavaca.
Aqui já a rolar na EN233 rumo ao Sabugal.
 
 

Foto de José Cavaca. 

 Cidade do Sabugal via-nos passar com quase 45 minutos de atraso... a culpada disso foi D. Inês e o Hotel em Jarmelo.

 

Foto de José Cavaca.

Vila de Caria... e cheirava a final de uma GRANDE MANHÃ DE CICLISMO!

 

 

Foto de José Cavaca. 

Covilhã à vista... 

... nunca nos arrependemos do que fizemos, mas sim do que ficou por fazer. Por isso continuamos a pedalar, a explorar, a sonhar e a DESCOBRIR.
Fomos, somos e continuaremos a ser como esta etapa, DE QUALIDADE...

 

Foto de José Cavaca.

Amanhã às 8:30 nos Arcos

Cafezinho nas Inguias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 15:52


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.