Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pelo Vale da Candeeira.

Segunda-feira, 13.04.15

O magnífico e quase impenetrável Vale da Candeeira é um vale glaciar suspenso sobre o vale do Zêzere, em que a beleza das suas vertentes escarpadas é a recompensa depois do difícil acesso. É circo glaciar que se formou pela acção de uma língua glaciar secundária que alimentava o glaciar do Zêzere.

 

Demos início à caminhada um pouco acima da vila de Manteigas.

 

... e começamos a entrar num verdadeiro filme de campos de cervum.

 

Observam-se locais onde vamos passar.

 

Um rebanho na base deste magnífico Vale Glaciar.

 

Um registo com o pastor.

 

Viragem para a direita do Vale.

 

Mas há coisas que não entendo... como é que alguém se pode apropriar da NATUREZA?

 

 É uma maravilha da natureza o nosso Vale Glaciar, mostra bem os vestígios da glaciação há milhares de anos.

 

A par da nossa escalada, aumenta a beleza do vale.

 

Muito gratificante cada passo dado nesta encosta.

 

E começa a ser bem visível a estrada que muitas vezes fazemos de bici.

 

Finalista das 7 maravilhas naturais de Portugal, o Vale Glaciar do Zêzere faz-se percorrer pelo seu interior ao longo da Rota do Glaciar.

 

Este é um percurso que acompanha o refrescante Rio Zêzere, entre quadros que emolduram o azul do céu e o verde do Vale.

 

Desbravando um caminho de singular beleza.

 

 

Local de cuidados redobrados.

 

 

Estamos a passar naquele circulo assinalado na foto.

 

Uma merecida pausa.

 

Esta caminhada é muito rica em elementos emblemáticos de paisagem natural.

 

*****

 

E eis-nos a chegar ao vale da Candeeira.

 

Hoje, os campos de cervum, a água cristalina da ribeira da Candeeira, a pastorícia e a beleza do lugar, fizeram atravessar todas as dificuldades para cá chegar.

 

Uma vez aqui chegados,,, ficamos anesteziados.

 

 

Apenas ouvimos o silêncio,,, e algumas rãs.

 

 

*****

 

*****

 

Uma pequena pausa para repor energias.

 

E vamos lá dar ao xinelo que a chuva ameaça.

 

Meu cunhado Tino, um bom conhecedor de trilhos da nossa Estrela.

 

E pronto amigos, estamos quase no local de partida.

Ficam alguns conselhos para esta caminhada.

A caminhada pode começar em vários pontos. Uma possibilidade é começar no Covão d'Ametade, encontrando o trilho ao subir um pouco a encosta norte do Covão, sendo que depois o trilho segue paralelo ao Vale do Zêzere. Este trilho vai estando marcado com mariolas (montes de pedras) e marcas amarelas e vermelhas.
Este trilho tem a distância aproximada de 2,5km mas é de dificuldade média/alta.
Outra possibilidade é subir a partir do Vale do Zêzere, num trilho bem marcado em que é preciso vencer um grande desnível mas que é a maneira mais directa de chegar à Candeeira. Para chegares a este trilho deves seguir o PR que segue junto ao Rio Zêzere até uma zona de casas de pastores em que uma ponte atravessa o rio para o início do trilho que sobe. Este trilho, apesar de muito inclinado, é de dificuldade média e está bem marcado por mariolas. Caso o terreno esteja molhado a dificuldade aumenta consideravelmente.
Outra possibilidade para chegar a este vale é seguir o trilho pela Lagoa do Peixão, no entanto este caminho tem uma parte muito inclinada que não é recomendada com chuva, neve ou gelo.

 

Voltaremos em breve, até lá,,, caminhem ou pedalem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 10:28