Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pelo Açor, uma volta à Pelotão Cavaca!

Sábado, 12.11.16

Amigos, esta foi dedicada à aldeia mais simpática da região, Açor! A juntar à simpatia das pessoas, associamos a ímpar beleza da região e a Mostra de Artes e Sabores da Maúnça que decorre nesta lindíssima aldeia hoje e amanhã. Os afortunados membros do Pelotão que marcaram presença, Carlos Fuji, José Cavaca, Luis Filipe Selidónio Oliveira, Miguel Ângelo, Vasco Santos, Henrique Manso e Victor Barbas.

 

 

Partida da Covilhã às 8:15

 

Subidinha do Souto alto a servir de aquecimento esta manhã.

 

Pelotão à passagem pelo Fundão.

 

Seguiu-se o castelejo.

 

À saída do Castelejo virava-se à esquerda para a Enxabarda e Açor.

 

E é isto o Pelotão Cavaca,,, aqui já rumo à aldeia do Açor, a aldeia da simpatia! Bem Haja Casinha d´ Avó Ana pela forma como fomos recebidos.

 

Em plena subida da Enxabarda para o alto do Açor.

 

Quase, quase no alto...

 

No alto virou-se então à esquerda para a nossa lindíssima e acolhedora aldeia.

 

Desida para o Açor.

 

... é já ali...

 

Dentro da aldeia as "estradas são confortáveis".

 

Primeira impressão,,, pessoas altamente simpáticas.

 

 

No Açor, anexa da freguesia do Castelejo, a população une-se nesta altura para receber bem quem a visita.

CONFIRMO VIVAMENTE, ALTAMENTE SIMPÁTICAS.

 

E foi aqui que, uma vez mais,  tão simpaticamente fomos recebidos... Casinha d´Avó Ana. Amigos, é nestes momentos, com pessoas humildes, com um sorriso cativante que nos identificamos. Nesta característica manhã ficou provado mais uma vez que ciclismo não é só pedalar. Assim foi, é e será o PelotãoCavaca.

 

Do artesanato aos licores, dos enchidos à castanha, terminando nos pratos típicos da região há de tudo um pouco para provar. Não esquecendo também o pão, quentinho, saído do forno comunitário que por estes dias se transforma num ponto de paragem obrigatória.

 

O segredo do sucesso tem sido a simpatia da população e a genuinidade de uma festa que transforma os rés-do-chãos das casas em restaurantes e tasquinhas.

 

Esta mostra de artes e sabores, em pleno coração da Serra da Maúnça, celebra a chegada da castanha apelando aos sentidos e valorizando a gastronomia, as tradições e o artesanato local.

 

No Açor, na Casinha d´Avó Ana, também fomos convidados a entrar na típica cozinha da aldeia... amigos, aqui até o fumo cheira bem!

 

Os maranhos, os “miaus” (bolos típicos), o coelho em azeite, a chanfana, o feijão com couve, fazem deste festival gastronómico um evento único, onde ao calor das lareiras, as pessoas se reúnem provando a aguardente de medronho ou o pão acabado de fazer no forno comunitário.

 

E com estas "cabaças simpáticas", terminamos a visita a tão encantadora aldeia.

 

Para trás fica esta linda e simpática aldeia.

Ficamos todos com vontade de voltar e falar com as suas gentes.

 

De novo no alto do Açor para agora descer à Malhada Velha.

 

Mas sem antes registar a panorâmica Oeste.

 

Depois de passar por Bogas de Cima e Barroca, o registo actual, São Martinho.

 

No Ourondo pedalamos frente ao Santuário da Nsa Sra do Carmo.

 

Já com cheiro a final de volta, pedalava-se nos Vales do Rio.

 

E pronto amigos, amanhã há mais. Muito grato pela companhia que enriqueceu e de que forma esta manhã.

 

 

Após uma das mais bonitas voltas do ano, eis o Pelotão Cavaca ordenado.

 

Amanhã todos nos Arcos às 8:20

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 15:12






pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930


Ciclismo, uma paixão.