Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Hoy vivimos un Gran día de ciclismo por Zarza la Mayor, España.

Quarta-feira, 29.04.15

Los Afortunados, José Cavaca, Armando Oliveira, Vasco Santos, Pedro Santos, Henrique Manso e João Laires sólo una parte de la ruta.
Amigos e companheiros...
Hoje vivemos um grande dia de ciclismo por terras de Espanha, mais uma grande volta de preparação à nossa aventura Covilhã- Algarve.
Um dia que serve de exemplo à forma como nos devemos comportar nas longas voltas... não houve stress, não houve fugas, não houve atrazados, não houve criticas a nada, e mesmo com muito ventro contra, chegou-se dentro da hora,,, afinal é tão fácil. É assim, dentro deste padrão que reconhecemos ser a melhor forma de afrontar as longas voltas que se avizinham, pelo que, será bem vindo quem deste modo nos quiser acompanhar!

Obrigado.

 

Partida da Covilhã às 7:00 com muito muito frio.

 

Perto de Peroviseu a temperatura era de 4 graus.

 

E hoje o fotógrafo teve muito trabalho...

 

Pelotão em Penamacor.

 

Entrada na Aldeia do Bispo.

 

E na Aldeia do Bispo quem manda é o Rei, e o Rei pagou os cafézinhos.

Obrigado mais uma vez  Pedro Santos.

 

Seguiu-se aldeia de João Pires. 

 

Agora rumo a Medelim.

 

Pelotão a pedalar por Medelim.

 

Em estrada de sonho, pedalava-se agora perto de Alcafozes.

 

Passagem na Barragem da Toulica, Zebreira.

 

Eis a linda e grande aldeia da Zebreira.

 

Sobre a origem do termo Zebreira, as opiniões dividem-se. Uns autores defendem que deriva da palavra "Zebros" (que significa boi ou novilho), outros consideram que é de origem egípcia, o qual quererá dizer "Santo Monte".

À semelhança de outras freguesias, no séc. XII foi repovoada pela Ordem dos Templários. Foi vila e sede de concelho com justiça própria.

Os terrenos da Zebreira são bastante férteis e predominam o cultivo das oliveiras, árvores de fruto e cereais.

 

Eis-nos em Segura, já muito perto de Espanha.

 

A aldeia de Segura é o primeiro ponto de paragem ao longo da estrada. Aqui não ocorrem muitas aves,mas ouve-se habitualmente o canto da rola-turca e podem ver-se algumas andorinhas. No entanto, vale a pena ir observando o céu, pois esta zona é frequentemente sobrevoada por grifos e por outras aves de rapina. Um pouco mais abaixo, logo após a aldeia, a estrada começa a descer em direcção à fronteira. Do lado esquerdo abre-se o vale escarpado do Rio Erges.

 

Pelotão Cavaca a dar entrada em Espanha.

 

 

Motivação extra pedalar em Espanha... maravilha de dia para o ciclismo!

 

Primeiro povo que entramos, Piedras Albas,  um município raiano da Espanha na província de Cáceres, comunidade autónoma da Estremadura com cerca de 177 habitantes.

 

Seguia-se Zarza la Mayor.

 

Zarza la Mayor é um município raiano de Espanha na província de Cáceres, também na comunidade autónoma da Estremadura com cerca de 1 409 habitantes.

 

Pelotão no centro da avenida principal.

 

E adios Zarza, voltaremos muito em breve.

 

Mais alguns quilómetros e entramos novamente no País onde actualmente é só dificuldades... até no ciclismo se revelaram... 100 km com vento de frente até à Covilhã!

 

Penha Garcia à nossa frente.

 

Este era o hambiente constante numa das mais bonitas manhãs e voltas do ano.

 

Em Medelim demos o laço à volta.

 

Pelotão entrava novamente em Penamacor, agora do lado Nascente.

 

E pelas 16:15 terminava esta volta que se encontrava em atraso.

 

Depois da nossa volta maravilha desta manhã por Espanha, eis os elementos participativos ordenados.
De registo:
Henrique Manso sobe ao 5º Lugar.
Vasco Santos sobe ao 19º lugar.
João Laires subiu ao 24º lugar.

 

Próxima volta...

SÁBADO A MORALEJA

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 18:32