Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



De volta, para uma mini volta.

Segunda-feira, 12.09.11

cavaca 1

Às 9 horas compareceram para esta volta, João Dias, José Cavaca, Gabriel Travasso, e José Carlos. Depois de umas mini férias, nada melhor que uma voltinha para acomodar alguns músculos e perder umas gramitas de "dois quilos" conquistados em 8 dias.

Percurso: Covilhã, Fundão. Lavacolhos, Silvares, Ourondo, Paul, Barco, Dominguiso e Covilhã.

 

cavaca 3

Entrada no Fundão,,, à Segunda Feira até de bici é complicado.

 

cavaca 2

Zé Carlos, hoje cabecilha em todas as circunstâncias, ofereceu "queques" no Ourondinho.

 

cavaca 5

Hoje Gabriel faz volta de apresentação e despedida,,, Quarta Feira novamente para Argélia.

 

cavaca 4

Perto de Souto da Casa.

 

cavaca 6

O nosso João com mais umas voltinhas, é concorrente a ter em conta.

 

cavaca 7

Entrada em Silvares.

 

cavaca 9

Silvares existe desde os primeiros tempos da monarquia portuguesa, em 1226, o seu nome aparece numa escritura de doação da Lardosa aos Templários, ainda nem se falava em ciclismo. Foi elevada a Vila no dia 21 de Junho de 1995, tem uma economia florescente, um bom e diversificado leque de equipamentos e, tem um grande número de instituições sócio-culturais. Foi nesta Vila que conhecemos pessoalmente o amigo Belchior, a 3 de Julho deste mesmo ano.

 

cavaca 10

Entre Silvares e Ourondo,  passamos sobre o Rio Zêzere.

 

cavaca 11

Na entrada do Ourondo pode-se encontrar o Santuário com a capela de Nossa Senhora do Carmo, reconstruida pelo povo no ano de 1961.

 

cavaca 12

A pedalar para o Paúl, uma magnífica paisagem da nossa Serra da Estrela.

 

cavaca 13

Em 1989, Paul foi elevado à categoria de vila. A 24 km da sede de concelho, na vertente sul da Serra da Estrela, o Paul é uma das mais históricas e tradicionais freguesias do concelho da Covilhã e de Portugal. Situa-se na margem esquerda da ribeira da Caia, afluente do rio Zêzere que muito contribui para a fertilidade das suas terras. Apesar de ser recente como aglomerado populacional, a sua primeira referência conhecida é de 1615, e apresenta características que permitem concluir da presença humana na região desde há muitos séculos. É assim no que se refere à presença dos fenícios, gregos, romanos e árabes. Em relação à presença dos primeiros (5.000 - 4.000 a.C.) esta pode observar-se através das espécies florestais por eles introduzidas, como é o caso da oliveira e da videira, espécies estas que predominam ainda hoje na paisagem do Paul.

 

cavaca 14

E a nossa passagem pelo Dominguiso, terra de "farrapeiros" que outrora, palmilhavam caminhos, em busca de trapo ou roupa velha, que esfarrapavam, para construir fio novo. A recliclgem aquí, já se fazia em "1940". O curioso nome da freguesia deve-se, segundo Alexandre Carvalho Costa em "Lendas, Historietas, Etimologias Populares e outras etimologias respeitantes a Cidades, Vilas, Aldeias e lugares de Portugal Continental", a um indivíduo que viveu aqui em tempos remotos e que se chamava Dominiguiz ou Dominguiz, que iria degenerar em Dominguiso. Outra tradição aponta os lacticínios como tendo estado na base do nome. Aqui vivia o "senhor dos queijos", responsável pela sua qualidade, e que em latim se dizia "dominus quejum".

 

Companheiros, grande abraço para todos,,,

Quarta Feira poderá haver mais uma voltinha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 13:37


4 comentários

De abel a 12.09.2011 às 23:24

OLÁ amigo José foste de ferias já vieste e não me disseste nada è só para dizer que também já cheguei ontem e par dizer um obrigado ao nosso amigo FERNANDO pela bela volta que fizemos sexta feira e un obrigado ao Zè Carlos pelos bolos que nos ofereceu obrigado ao nosso amigo Lebre e Palmeirão pelos cafezinhos que nos ofereceu um grande abraço ciclista par vocês todos e até breve .Abel

De José Cavaca a 13.09.2011 às 10:17

Companheiro e amigo Abel, fui duas vezes a tua casa para me despedir de ti e não estavas, encontrei o portão com as duas portas abertas mas não estavas. Também andei muito mal das costas, privando-me de algumas voltas, já estou quase bom, mas ainda cá anda uma dor a moer, Mas o mais importante é que fizeste boa viagem e que tudo correu bem. Dá cumprimentos à família e um grande abraço ao Nicola.Um grande abraço para ti, e cá te esperamos.

José Cavaca

De António Lebre a 13.09.2011 às 00:21

Com que então de regresso Mestre Cavaca, o que é bom acaba depressa, paciência amigos mas o país precisa de trabalho...
Tá redondinho o Gabriel não tá?, não há bike na Argélia? há que fazer uns crosses nas areias do deserto, fica fininho de certeza (estava brincando né). Abração, amigo Gabriel e bom trabalho para o regresso ser rápido quanto desejas.

Lebre

De José Cavaca a 13.09.2011 às 10:21

Amigo Lebre, estou de regresso mas parece que nem fui,,, foi como aquele ditado, "é tão bom não foi", pois as férias é igual. Quanto ao Gabriel, não está muito mal, com uns 3 mil km por mês fica razoável.

Quanto a ti, vê se apareces um dia destes, já pareces mesmo uma Lebre.

Grande abração, e bom trabalho.

José Cavaca

Comentar post