Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A próstata e o ciclismo.

Segunda-feira, 06.06.11

 

A próstata é um glândula vizinha da bexiga. O seu funcionamento habitual é imperceptível mas as suas modificações provocam muitas vezes perturbações urinárias. Esta glândula aumenta de volume no homem, de forma natural, depois dos 50 ou dos 60 anos. Tem-se por vezes acusado a prática do cicloturismo de provocar ou de acelerar esta hipertrofia.

Na utilização da bicicleta, a posição sentada pode pôr em contacto com o selim toda ou parte da próstata. Esta justaposição pode explicar por vezes a inflamação da glândula, as dores e, eventualmente, uma elevação da taxa de PSA, sem que isto esteja demonstrado formalmente. Nenhum estudo científico demonstrou uma correlação entre a prática do ciclismo e o aparecimento (ou o agravamento) dum adenoma prostático.
Os problemas provocados pelo selim são as uretrites (inflamação do canal urinário) causadas pela pressão. As lesões traduzem-se por dores do tipo de formigueiros ou de ardor, ao nível do pénis. Em todos os casos, a prevenção ou a correcção destes problemas passa pela escolha de um bom selim, suficientemente largo e macio para que o rabo repouse correctamente na parte mais larga do selim. Em caso de dúvida deve pedir-se uma radiografia da bacia onde se poderá medir a distância das tuberosidades isquiáticas e escolher, então, um selim suficientemente largo, adaptado à anatomia de cada um. A posição prolongada na ponta do selim é sempre de evitar. O selim deve estar na posição horizontal, não demasiado alto e em caso algum levantado à frente. Estas precauções são fundamentais no cicloturismo onde se está muito tempo sentado no selim como acontece durante as grandes distâncias.  A prevenção passará essencialmente por um exame sistemático da próstata, de dois em dois anos, a partir dos 50 anos. Se houver antecedentes familiares de cancro da próstata será aconselhado fazer este exame a partir dos 40 anos. Este exame médico constará de um toque rectal para avaliar o volume, a consistência e os limites da próstata e uma análise ao sangue para ver a taxa de PSA (antigénio prostático específico). Trata-se de uma glicoproteína segregada pela próstata cuja elevação da sua percentagem no sangue é característica da prostatite, adenoma ou cancro.

Logo que seja detectada qualquer coisa de anormal, o paciente deverá ser enviado a um Urologista que se encarregará de mandar fazer os exames complementares:
- Uma ecografia ou uma TAC para apreciar melhor o volume prostático e as suas repercussões sobre os órgãos envolventes (bexiga, uretra), assim como o volume de urina na bexiga antes e após a micção.
- Medida do débito urinário. É um exame simples e eficaz que permite confirmar uma obstrução do canal urinário.
- Uma série de biópsias, isto é, um exame de 10 a 12 níveis da próstata para analisar o seu tecido constitutivo e pôr em evidência uma evolução cancerosa. Em conclusão, as doenças da próstata não são derivadas do uso da bicicleta. Elas são muito frequentes em toda a população, a partir dos 50 anos. Os cicloturistas, tal como as pessoas sedentárias, deverão fazer despistagens a partir desta idade, ou mesmo antes, se pertencem a uma família de risco. Em conclusão, as doenças da próstata não são derivadas do uso da bicicleta. Elas são muito frequentes em toda a população, a partir dos 50 anos. Os cicloturistas, tal como as pessoas sedentárias, deverão fazer despistagens a partir desta idade, ou mesmo antes, se pertencem a uma família de risco. Quanto mais cedo um cancro for diagnosticado, mais fácil será o seu tratamento e menos tempo ele terá para disseminar metáteses.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 08:33


4 comentários

De Antunes a 06.06.2011 às 09:20

Assunto de extrema importancia, quer para ciclistas quer para o cidadão comum. Muito obrigado por o traser a este espaço. há também muita informação na internet à qual podemos recolher muita informação.

Ciclismo é saúde, mas saúde não é só ciclismo.

De EStRAbiCo a 06.06.2011 às 09:50

Muito bem, muito bem..
Assunto de importância muito relevante.
Hà que estar atento e fazer exames de despistagem atempadamente.
Hà sintomas que se devem ter em conta, tais como ter dificuldade em urinar, e ou mijar a conta-gotas.
Eu já perdi a virgindade....!!! Foi toque retal,,,, foi biópsia,,, ecografias etc....
Não é nada do outro mundo, mas destabiliza emocionalmente e psiquicamente o individuo.
Saudações

De Carlos Calheiros a 06.06.2011 às 13:46

Para reduzir os riscos de desenvolver câncer de próstata, quanto mais café, melhor, de acordo com um estudo publicado por pesquisadores da Harvard School of Public Health.

Homens que bebem seis ou mais cafés por dia apresentaram uma redução de 60% no risco de desenvolver um tipo extremamente letal de câncer de próstata, e uma redução de 20% no risco de sofrer com qualquer tipo de câncer de próstata em relação a homens que não consomem a bebida.

Isto é apenas um estudo que garantem ser real.

Muita saúde para todos.

De Anónimo a 19.10.2014 às 14:21

Texto conciso, muito esclarecedor, com boas ilustrações. Parabéns!

Comentar post