Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Hoy vivimos un Gran día de ciclismo por Zarza la Mayor, España.

Quarta-feira, 29.04.15

Los Afortunados, José Cavaca, Armando Oliveira, Vasco Santos, Pedro Santos, Henrique Manso e João Laires sólo una parte de la ruta.
Amigos e companheiros...
Hoje vivemos um grande dia de ciclismo por terras de Espanha, mais uma grande volta de preparação à nossa aventura Covilhã- Algarve.
Um dia que serve de exemplo à forma como nos devemos comportar nas longas voltas... não houve stress, não houve fugas, não houve atrazados, não houve criticas a nada, e mesmo com muito ventro contra, chegou-se dentro da hora,,, afinal é tão fácil. É assim, dentro deste padrão que reconhecemos ser a melhor forma de afrontar as longas voltas que se avizinham, pelo que, será bem vindo quem deste modo nos quiser acompanhar!

Obrigado.

 

Partida da Covilhã às 7:00 com muito muito frio.

 

Perto de Peroviseu a temperatura era de 4 graus.

 

E hoje o fotógrafo teve muito trabalho...

 

Pelotão em Penamacor.

 

Entrada na Aldeia do Bispo.

 

E na Aldeia do Bispo quem manda é o Rei, e o Rei pagou os cafézinhos.

Obrigado mais uma vez  Pedro Santos.

 

Seguiu-se aldeia de João Pires. 

 

Agora rumo a Medelim.

 

Pelotão a pedalar por Medelim.

 

Em estrada de sonho, pedalava-se agora perto de Alcafozes.

 

Passagem na Barragem da Toulica, Zebreira.

 

Eis a linda e grande aldeia da Zebreira.

 

Sobre a origem do termo Zebreira, as opiniões dividem-se. Uns autores defendem que deriva da palavra "Zebros" (que significa boi ou novilho), outros consideram que é de origem egípcia, o qual quererá dizer "Santo Monte".

À semelhança de outras freguesias, no séc. XII foi repovoada pela Ordem dos Templários. Foi vila e sede de concelho com justiça própria.

Os terrenos da Zebreira são bastante férteis e predominam o cultivo das oliveiras, árvores de fruto e cereais.

 

Eis-nos em Segura, já muito perto de Espanha.

 

A aldeia de Segura é o primeiro ponto de paragem ao longo da estrada. Aqui não ocorrem muitas aves,mas ouve-se habitualmente o canto da rola-turca e podem ver-se algumas andorinhas. No entanto, vale a pena ir observando o céu, pois esta zona é frequentemente sobrevoada por grifos e por outras aves de rapina. Um pouco mais abaixo, logo após a aldeia, a estrada começa a descer em direcção à fronteira. Do lado esquerdo abre-se o vale escarpado do Rio Erges.

 

Pelotão Cavaca a dar entrada em Espanha.

 

 

Motivação extra pedalar em Espanha... maravilha de dia para o ciclismo!

 

Primeiro povo que entramos, Piedras Albas,  um município raiano da Espanha na província de Cáceres, comunidade autónoma da Estremadura com cerca de 177 habitantes.

 

Seguia-se Zarza la Mayor.

 

Zarza la Mayor é um município raiano de Espanha na província de Cáceres, também na comunidade autónoma da Estremadura com cerca de 1 409 habitantes.

 

Pelotão no centro da avenida principal.

 

E adios Zarza, voltaremos muito em breve.

 

Mais alguns quilómetros e entramos novamente no País onde actualmente é só dificuldades... até no ciclismo se revelaram... 100 km com vento de frente até à Covilhã!

 

Penha Garcia à nossa frente.

 

Este era o hambiente constante numa das mais bonitas manhãs e voltas do ano.

 

Em Medelim demos o laço à volta.

 

Pelotão entrava novamente em Penamacor, agora do lado Nascente.

 

E pelas 16:15 terminava esta volta que se encontrava em atraso.

 

Depois da nossa volta maravilha desta manhã por Espanha, eis os elementos participativos ordenados.
De registo:
Henrique Manso sobe ao 5º Lugar.
Vasco Santos sobe ao 19º lugar.
João Laires subiu ao 24º lugar.

 

Próxima volta...

SÁBADO A MORALEJA

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 18:32

Quarta Feira é por Zarza la Mayor!

Segunda-feira, 27.04.15

Mapa da volta.

 

Pormenores da volta.

Somos obrigados a recorrer às Quartas Feiras...

 

Partida dos Arcos ás 7:00

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 14:19

Chuva ludibria ciclistas na Benespera!

Domingo, 26.04.15

Nem a previsão de muita chuva nos deixou em casa!

Os destemidos, Lidio Ramos, Marco Ribeiro, Carlos Fernando Simões, João Nicolau, Manuel Ribeiro, Luis Filipe, Licínio Martins, Helder Torres, Paul Rooki, Tiago Lages, Sebastião Aparício, Vasco Santos, Pedro Santos,Carlos Fuji, Fernando Mendes, Rui Nunes, José Cavaca e Fernando Santosque se juntou mais tarde.

 

Partida da Covilhã com muito Sol, contrariando uma vez mais as previsões!

 

Passagem na Sra do Carmo.

 

Na vila de Caria...

 

Pelotão entra no ascesso à A23.

 

Imagens bem galantes a que este Pelotão nos vai habituando.

 

Alguns elementos a todo o vapor???

 

Quinta ao lado do ascesso em Caria.

 

Passagem sob A23.

 

A chegar a Belmonte viragem para a Praia Fluvial.

 

Belmonte ao fundo. Agora seguia-se Benespera.

 

Mais uma linda imagem do Pelotão numa não menos bonita manhã.

 

A chegar a Benespera.

 

Helder Torres no comando.

 

Benespera ficava ao fundo.

 

A vez de Sebastião Aparício fazer juz ao Pelotão Cavaca.

 

Licínio a comandar rumo a Caria.

 

Pelotão a dar entrada na vila de Caria.

 

Centro de Caria.

 

Covilhã à vista.

 

Fernando Santos sempre no regresso das voltas.

 

E final da "reporvolta" com uma panorâmica da Covilhã.

 

Pelotão ordenado depois da etapa por Benespera.
Com Lidio Ramos, Marco Ribeiro, Carlos Fernando Simões, João Nicolau,Manuel Ribeiro, Luis Filipe, Licínio, Helder Torres, Paul Rooki, Tiago Lages, Aparício, Vasco Santos, Pedro Santos, Carlos Fuji, Fernando Mendes, Rui Nunes, José Cavaca e Fernando Santos.

 

Quarta Feira há mais!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 20:13

Pela Serra da Malcata.

Sábado, 25.04.15

A fiar na Meteorologia não saiamos de casa... vergonha de previsões!
Uma manhã lindíssima pela Serra da Malcata e sem pinga de chuva.
Que o digam, Henrique Manso, Pedro Santos, Guilhermino Pais, Luis Filipe, João Deus e José Cavaca.
118 km com temperaturas a rondar os 18 graus, sem chuva, e por vezes até com a companhia do Sol.

 

Partimos da Covilhã às 7:15 sem chuva e boa temperatura.

 

Com tão bom tempo, alguns tiveram receio...

 

Perto de Peroviseu o Sol dava-nos os Bons Dias!

 

Passagem em Peroviseu.

 

Pelotão Cavaca na Capinha.

 

Depois dei a conhecer mais uma ciclovia.

 

Ribeira da Meimoa...

 

E neste local registamos a passagem.

 

No Escarigo o amigo Pedro Santos ofereceu os Cafezinhos ao Pelotão.

 

Depois rumo à Benquerença.

 

E na Meimoa uma surpresa esperava os amigos...

 

... a subidinha para a Capela de São Domingos. Apenas 20%.

 

Depois entramos no coração da Serra da Malcata.

A Reserva Natural da Serra da Malcata (RNSM) localiza-se entre a vila de Penamacor e a cidade do Sabugal, junto à fronteira com Espanha. O seu símbolo é o lince-ibérico, o felino mais ameaçado do mundo.

 

O novo piso é "facilmente" rompido por simples plantas. Um exemplo da persistência.

 

Um furinho dá jeito para apreciar a paisagem.

 

Pelotão Cavaca em plena Serra da Malcata.

A Reserva Natural da Serra da Malcata ocupa uma área de cerca de 22 000 hectares, parte no concelho de Penamacor, parte no de Sabugal, e é rodeada por uma cintura de aldeias - Foios, Vale de Espinho, Quadrazais, Malcata, Meião e Meimoa.A Machoca, o seu ponto mais elevado, sobe a pouco mais de 1000 m de altitude, sendo o ponto mais elevado de um maciço cuja altitude média oscila em torno dos 800 metros, não descendo, na sua cota menos elevada, junto ao rio Bezágueda, abaixo dos 500. Os inúmeros barrancos de carácter ravinado que se sucedem serra fora e a rede de linhas de água que a percorrem, em que se destaca o rio Coa e as ribeiras da Meimoa e da Bezágueda, são zonas de difícil acesso.

 

No que diz respeito ao aspeto geológico dominam os xistos e grauvaques, apenas interrompidos pelos afloramentos rochosos de um filão quartzítico.
No que diz respeito à flora, a serra da Malcata é constituída por pinheiro bravo, eucalipto e bosquetes de carvalho-negral, estes situados nas encostas viradas a norte, que vão cedendo lugar à azinheira à medida que nos deslocamos para sul. Pode-se também encontrar freixos, amieiros e salgueiros que, formando uma galeria, ladeiam as linhas de água e um ou outro castanheiro ou sobreiro.

 

São o matos que dominam a paisagem, variando a sua composição de acordo com a altitude, exposição ou a própria composição florística das formações em que se originaram. Giestas, urzes e medronheiros predominam nos locais mais frios enquanto a esteva povoa as zonas mais secas. Em determinadas circunstâncias, os medronhais apresentam uma fisionomia arbustiva, existindo os de grande porte, atingindo por vezes mais de 6 m de altura.

 

Do local onde nos encontramos era visível o Meimão.

 

De novo a dar ao pedal. Passagem em Penamacor.

 

E sem pinga de chuva a volta estava a terminar.

 

E com alguns raios de Sol a nossa volta terminava onde começou...

Obrigado amigos pela companhia nesta ímpar volta pela Malcata.

 

Depois da volta maravilha pela Malcata, eis o Pelotão Ordenado.
De registo:
Luis Filipe sobe ao 3º lugar.
João Deus sobe ao 5º lugar.
Henrique Manso sobe ao 8º lugar.
Restantes mantêm-se.

 

Amanhã é pela Benespera.

 

Partida dos Arcos às 8:15

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 14:25

Domingo inédita ao alcance de todos!

Sábado, 25.04.15

Mapa da volta.

 

Pormenores da volta.

 

Partida dos Arcos às 8:15

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 10:23

Volta de Moraleja adiada, mas há volta.

Sábado, 25.04.15

Há volta na mesma se o clima permitir.

Partida dos Arcos às 7:15

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 05:25

Ao sabor do vento...

Quarta-feira, 22.04.15

Previsões Meteorológicas falham como os Governos.

Grande manhã de Sol e Ciclismo!

Tal como estava bem notificado, se não chovesse havia volta,,, assim aconteceu. Não choveu e às 8:30 apenas eu José Cavaca e o Henrique Manso marcamos presença.
Pedalar ao sabor do vento, Covilhã, Capinha, Enxames, Mata da rainha, Aldeia de Santa Margarida, Penamacor, Meimoa, Escarigo, Monte de Bispo, Peraboa e Covilhã totalizando 114km.

 

Partimos da Covilhã às 8:34,,, pensando que mais algum colega aparecesse.

 

Decidimos ir ao sabor do vento,,, então fomos pela Capinha.

 

Na ciclovia para os Enxames o Sol dava-nos os bons dias.

 

Nos Enxames decidimos ir até à Mata da Rainha...

 

Passagem na Mata da Rainha,,, e chuva, NADA!

 

De seguida decidimos ir tomar café à Aldeia de Santa Margarida,,, NADA de chuva.

 

Depois do Café seguimos para Pedrogão de São Pedro... chuva, NADA.

 

Depois de passar Penamacor, eis-nos na Meimoa,,, e chuva NADA!

 

De Meimoa rumo à Benquerença.

 

Passagem na Benquerença com SOL!

 

No Escarigo decidimos e bem, fazer a subidita para Monte do Bispo.

 

Subida que o amigo Henrique nunca tinha feito... chuva nem vê-la.

 

E com muito Sol aproximavamo-nos de Peraboa.

 

Covilhã à vista... foi uma relaxante e excelente volta. Obrigado Henrique.

 

Top Ten Pelotão Cavaca.

 

Sábado é a Moraleja!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 13:53

Amanhã,,, tá difícil...

Terça-feira, 21.04.15

Mais uma difícil decisão... há previsão de muita chuva para toda a manhã.

Partida dos Arcos às 8:30

Se não chover.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 16:35

Provideo registou

Segunda-feira, 20.04.15

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 09:26

Manhã exemplar... pela Cortiçada.

Domingo, 19.04.15

Uma palavra de apreço e reconhecimento aos amigos que, abdicam de voltas mais longas e difíceis, para uzufruírem destas manhãs conviventes na nossa companhia. Posturas que não me passam despercebidas...
Assim, compareceram nesta Primaveril manhã, Carlos Fuji, Jacques Deejaa,Francisco Borges, Marco Ribeiro, Armando Oliveira, João Laires, Helder Torres, Andre Alves, João Nicolau, Fernando Duarte, Licínio Martins, António Lebre, Antonio Parracho, João De Deus Henriques, Mário Teodoro, Sebastião Aparício, Pedro Santos, José Cavaca, e Fernando Santos que se juntou mais tarde ao Pelotão.
79km bem coloridos de fantásticos amigos, obrigado.

 

Partida da Covilhã às 8:00 com boa temperatura e Sol Alto.

 

No Fundão o cafézinho foi oferta do amigo Pedro santos.

 

Seguiu-se a subida da Gardunha.

 

Passagem do Pelotão no alto da Gardunha.

 

Passagem no local da Festa, Cortiçada,,, mas festa nem a vimos...

Está tudo em crise.

 

Depois foi mais uma estradinha desconhecida de muitos.

 

Linda,,, brevemente voltaremos.

 

Passagem na Povoa da Palhaça.

 

Simplesmente, ciclismo...

 

Esta foi outra ciclovia que a maioria dos amigos desconhecia.

 

E sem dúvida para repetir.

 

Pelotão na zona da Capinha.

 

Com a cooperação destes fantásticos amigos, continuamos a colorir estradas das Beiras.

 

Covilhã à vista, mas a volta não terminava aqui.

 

Tal como programado, viramos à direita para a antiga EN18.

 

Passagem do Pelotão Cavaca na histórica Ponte Pedrinha.

 

E com o Pelotão a passar na Sra da Estrela e Boidobra, terminamos esta volta.

 

 

Pelotão Cavaca ordenado depois de um grande fim de Semana Velocipédico...
A registar:
João Nicolau sobe de 15º para 14º lugar.
Helder Torres subiu de 19º para 18º lugar.
João Laires subiu de 26º para 22º lugar.
Jacques Deejaa subiu de 28º para 24º lugar.
Carlos Fuji subiu de 30º para 26º lugar.
Mário Teodoro subiu de 32º para 31º ligar.
Antonio Parracho subiu de 35º para 34º lugar.
André Andre Alves subiu de 41º para 36º lugar.
João De Deus Henriques sibiu de 43º para 37º lugar.
Fernando Duarte subiu de 29º para 25º lugar.
Licínio Martins sibiu de 52º para 46º lugar.
António Lebre subiu de 58º para 50º lugar.
Francisco Borges subiu de 71º para 59º lugar.
Fernando Santos subiu de 45º para 43º lugar.

QUARTA FEIRA HÁ MAIS CICLISMO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 13:11


Pág. 1/3