Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais uma sra volta, esta pela Sra da Povoa.

Domingo, 20.01.13

Juntaram-se na Sra do Carmo, Guilhermino Pais, João Laires, Luis Filipe, Francisco Romão, Pedro Santos, Armando Oliveira(totalista), Fernando Caetano, Fernando Prata, e José Cavaca. Logo a seguir juntou-se José Carlos e Sebastião Aparício, mais tarde foi a vez de Fernando Santos.

Pedalamos por, Covilhã, Sra do Carmo, Peroviseu, Capinha, Escarigo, Sra da Povoa, Terreiro das Bruxas, Casteleiro, Inguias, Belmonte, Orjais e Covilhã, totalizando uns Santos 113km.

 

Muito espírito para esta volta, anda tudo farto de ficar em casa!

 

E o clima até ajudou, a Covilhã apresentava-se soleada à partida.

 

 

Em Peroviseu, e com bom tempo, o temperamento era energético.

 

Com chuva à vista para os lados do Fundão, decidimos e bem virar para os Três Povos.

 

No Escarigo o amigo Prata ofereceu os cafézinhos para aquecer o pelotão.

 

Novamente a pedalar, agora rumo ao Santuário da Sra da Povoa.

 

Entrada no Santuário.

Até hoje nada há publicado, que saibamos, sobre a sua fundação e, por isso, limito-me a descrever a origem tal como os nossos mais idosos conterrâneos a contam e repetem há séculos.


Andavam dois pastorinhos, em tempo que não se pode precisar, a apascentar os seus rebanhos. Os cães que lhe serviam de protecção e auxílio, arremeteram subitamente contra um silvado que vicejava junto a uma fonte, hoje destruída pelo minar do tempo. Admirados, ávidos de conhecer a causa do chamamento dos fiéis animais, os pastores dirigiram-se para o local. Ficaram estupefactos. Entre as duas silvas, brilhava uma pequena imagem da Virgem Santíssima, rodeada por uma auréola resplandecente. Maravilhados, correram à povoação a participar o caso. Não tardou que o povo organizasse uma procissão e conduzisse solenemente a radiante imagem para a Igreja da freguesia. A Virgem imaculada, porém, como que querendo eternizar o aprazível lugar, desapareceu do templo, para pouco depois reaparecer no silvado. O povo, vista a vontade insuperável da Virgem Maria, resolveu construir-lhe uma pequena ermida no local do aparecimento, até que, em 1784, com o produto de avultadas esmolas que a Senhora recebia, se construiu a actual capela onde ainda hoje se venera com toda a pompa e luzimento, a milagrosa Virgem Imaculada Senhora da Póvoa.


Seguiu-se a Santa subida para o Terreiro das Bruxas.


E à passagem no Casteleiro... estes samáforos só não confundem...


... este tipo de viaturas!!!


Passagem na Estação da CP em Belmonte.


E em Belmonte começaram a cair as primeiras pingas que nos acompanharam até à Covilhã.


Covilhã que, à nossa chegada nos recebia com um ar bem mais triste... muita chuva, e gelada. 


 

ORDENADOS OS AMIGOS APÓS A 6ª ETAPA

 

 

MAIS CICLISMO NA PRÓXIMA QUARTA FEIRA

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 13:59