Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Na Bouça, recepção de ouro

Domingo, 31.07.11

                        carimbada a Pasteis de Nata.

cavaca 1

Há mais de 20 anos que não íamos à Bouça em bicicleta, mas a espera foi indemnizada! 

Pelas 8h 30m saíram da Covilhã, Ricardinho, Zé Carlos, António Sá, Steve Sá, o nosso Lebre, José Cavaca, Palinhas, e João Dias. Mais tarde juntou-se o nosso neo profissional Bruno Fernandes, e o trepador David Fernandes.

Percurso da volta: Covilhã, Tortosendo, Cortes do Meio, BOUÇA; Cortes de Baixo, Paúl, Ourondo, Silvares, Barco, Vales do Rio, Dominguiso e Covilhã.

 

cavaca 2

Poucos imaginavam à partida, que os gastos "calóricos" até à Bouça, seriam compensados.

 

cavaca 3

Steve Sá, hoje foi o emblema honorário do grupo.

 

cavaca 4

Imagem da subida suave para o Alto da Portela.

 

cavaca 5

Retaguarda do pelotão, era notório o "Poder do entusiasmo".

 

cavaca 6

Subida para as Cortes do Meio.

 

cavaca 7

A freguesia de Cortes do Meio estende-se desde o planalto das Penhas da Saúde até à planície do Ourondinho, com uma superfície de 48,19 Km. Situada entre as freguesias de Unhais da Serra, Paul, Peso, Tortosendo e Vila do Carvalho, a freguesia de Cortes do Meio é também confinante com o concelho de Manteigas e com algumas das freguesias urbanas da Covilhã. A 15 km da sede de concelho, Cortes do Meio está situada sobre o rio Paúl. Aqui nasce uma ribeira que a atravessa, passando pelo Paúl e que vai desaguar no rio Zêzere. Tem cerca de 15 km de curso.

 

cavaca 8

Depois das Cortes, a subidinha para a Bouça.

 

cavaca 9

E que bem esteve o nosso Palinhas.

 

cavaca 10

E perto da Aldeia da Bouça, parei para registar este bonito Vale.

 

cavaca 11

Na Bouça, que agradável recepção, o João Dias até repetiu!

 

cavaca 12

Chegada ao centro da Aldeia.

 

cavaca 16

Depois de estacionados os "veículos", vamos à festa!

 

cavaca 14

Esperava-nos o amigo Ilídio, proprietário deste estabelecimento, e umas deliciosas e gigantes NATAS, bem como as respetivas bejecas!

 

 cavaca 15

Assim que se deu a PARTIDA REAL, "sumiram-se"!

 

cavaca 13

Novamente na rua para uma volta alegórica pela Aldeia.

 

cavaca 19

Percorremos algumas ruas...

 

cavaca 18

E atestámos depositos com água fresca numa histórica fonte.

 

 cavaca 20

Passagem nas Cortes de Baixo.

 

cavaca 22

Logo a seguir, aparece o amigão "moto" Bruno Fernandes que nos fez companhia até final.

 

cavaca 24

Entrada no Ourondo, uma freguesia do concelho da Covilhã, com 9,21 km² de área e 416 habitantes. Densidade: 45,2 hab/km².

 

cavaca 23

Registo também para a fabulosa condição fisica na parte final da volta do nosso João.

 

cavaca 25

Passagem em Silvares, nome que deriva do termo latino - silva, que deu em português silva, silvar (Silvares, plural) em alguns dicionários com o significado “silveiral”.
Silvares é uma das povoações mais antigas do concelho do Fundão, que existe desde os primórdios da monarquia portuguesa.
Nos contrafortes da serra da estrela e na margem esquerda do rio Zêzere, situada num local conhecido como “Zona do Pinhal”,com cerca de mil fogos ocupa aproximadamente 20,9km. Elevada a vila no dia 21 de Junho de 1995, Silvares é hoje considerada a capital da zona do pinhal. O seu desenvolvimento começou por volta da 2ªGuerra Mundial, beneficiando da intensa exploração do volfrâmio nas vizinhas Minas da Panasqueira. Este importante couto mineiro era então considerado um dos mais ricos jazigos de volfrâmio do mundo e certamente da Europa. Ainda existe ligação ao couto mineiro da Panasqueira, em actividade, sendo o cabeço do pião, um dos pólos mais importantes e um lugar anexo da freguesia de Silvares.
Os gloriosos tempos do volfrâmio tiveram em Silvares reflexos imediatos. A grande mudança notou-se desde logo ao nível das condições: o tijolo e o cimento substituíram a palha e o barro. A freguesia não parou mais de crescer atingindo nos nossos dias um nível de desenvolvimento bastante acentuado que resultou na sua elevação a vila. Uma vila que apresenta uma economia florescente, um bom e diversificado leque de equipamentos e, entre todas as freguesias do concelho, é uma das que tem um maior número de instituições sócio culturais.

 Amigo Belchior, esta imagem é dedicada a si.

 

cavaca 21

E vamos para casa que os termómetros já marcam 35 graus.

Obrigadão companheiros pela rica manhã gastronómica, em que os sólidos foram uma oferta da Pastelaria "Dias e Pereira dos Santos" e os líquidos uma oferta do amigo Ilídio da Bouça.

 

PRÓXIMA VOLTA, NA TERÇA FEIRA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 05:37