Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



De Covilhã, por Barriosa.

Sábado, 07.11.09

Hoje, a volta estipulada pela Barriosa, foi interrompida aos 25 km pelas más condições climatéricas, principalmente vento muito forte, por vezes com rajadas a fazer assustar o amigo Simões.

Assim, eu, Simões, Bruno , João e Kevin, saímos à hora marcada do Períferia, rumo a Tortosendo, Unhais da Serra, Estrada das Pedras Lavradas, Erada, Paul, Barco, Coutada, Peso, Vales do Rio, Dominguiso e Covilhã.

 

Passagem no Tortosendo, aquecimento bem necessário, o frio começava a marcar presença.

 

Entrada na Vila de Unhais.

 

 

Panoramica da Serra da Estrela, vista de Unhais.

 

 

Momento em que se estava a tornar impossivel continuar.

 

...que depois de uma "LONGA" reunião, decidiu-se vir pela vila de Paul.

 

Já a caminho da Covilhã, passagem pelo Peso.

 

E passagem pelo Dominguiso, mas se a nós ciclistas, estas enormes lombas nos perturbam, imagino a algumas viaturas,,,o amigo Bechior já aqui tinha comentado estes muros, eu concordo que os condutores têm que ter mais respeito pelas velocidades dentro das localidades, mas dentro das localidades também tem que haver alguém com algum respeito pelos condutores.

 

E vamos para a Covilhã, restavam 5 km,,,amanhã há mais.

 

AMANHÃ, SAÍDA DA SENHORA DO CARMO ÀS 9 HORAS.

 

Um abraço ciclístico para todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por José Cavaca às 07:48


3 comentários

De Anónimo a 07.11.2009 às 13:50

boa volta, pena não ter sido até á Barriosa. Mas foi uma óptima manhã de convívio.

Um abraço, e amanhã lá estarei para mais uma etapa!

Kevin,

De José Cavaca a 07.11.2009 às 16:33

Concordo, Kevin, pena não se ter ído à Barriosa,,,pode ser que à terceira seja de vez.

Abraço.

De bcmantunes a 08.11.2009 às 17:37

Ora viva, amigo José Cavaca,
0s meus cordiais cumprimentos.
Muito bem! Quero agradecer ao amigo José Cavaca, pela forma eloquente como expôs o assunto das lombas nas localidades de Barco, Coutada, Vales do Rio e Dominguizo. Revejo-me exactamente nas frases que proferiu. Seria bom que os responsáveis pela situação existente tomassem as medidas sensatas para respeitar quem precisa de passar na estrada EN513. Não se percebe que existam escassos 10 metros entre passadeiras. Com que necessidade? Não são maneiras de tratar os turistas nem os munícipes. Infelizmente, nas nossas aldeias quando apresentamos críticas por vezes são aproveitadas para os autarcas se vitimizarem.
Caríssimo,
um abraço,
Belchior Madeira Antunes

Comentar post